Artigos

A importância da reserva de emergência em tempos de crise.

Tempo estimado de leitura:
2
minuto(s)

É de senso comum que qualquer pessoa está sujeita a lidar com os imprevistos da vida.

Seja por qual motivo for, isso nos mostra o quão incapazes somos de prever essas situações e de que é fundamental termos sempre outra alternativa que nos traga segurança; em outras palavras, o mais conhecido “plano B”.

É como diz o velho ditado popular: “… Melhor prevenir do que remediar.”

Entretanto, sabemos que essa não a realidade da maioria dos brasileiros.

De acordo com a 3ª edição do Raio X do Investidor Brasileiro, realizada pela Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), 62% da população não possui o hábito de poupar e entraram em 2020 sem qualquer reserva financeira para algum tipo de emergência.

No Brasil, ainda existe uma cultura enraizada onde a maioria das pessoas não se preocupam com a importância de constituir uma reserva. Por conta disso, foi possível ver que quem não possuía uma reserva contribuiu para que as coisas se tornassem mais difíceis nesse momento de total incerteza.

A realidade é que os diversos impactos gerados pelo novo Coronavírus (COVID-19) trouxeram um choque de realidade nas pessoas. Muitas delas tiveram uma redução considerável de renda e outras até tiveram suas rendas extintas.

Agora, mais do que nunca, além da tarefa de honrar com os compromissos financeiros do dia a dia, priorizar a constituição de uma reserva de emergência trará mais tranquilidade para você e sua família. Afinal, é através dela que será possível manter sua vida financeira em ordem no caso de alguma eventualidade.

Ter uma reserva nos deixa preparado para lidar com situações inesperadas da melhor forma possível.

Se você ainda não possui uma reserva, fique atento as dicas abaixo:

  • O primeiro passo é entender a real importância dela e os benefícios que ela pode proporcionar caso algo inesperado aconteça;
  • Com isso em mente, o próximo passo será fazer uma “faxina” em suas despesas e ver onde é possível economizar. Dessa forma, você terá mais clareza de como realmente está sua situação no momento;
  • A partir daí, você conseguirá definir um valor a ser poupado todos os meses a fim de alcançar esse objetivo;
  • O recomendado é ter de 3 a 6 vezes o valor do seu custo de vida mensal. Mas lembre-se: é você quem irá determinar a quantia que o faz se sentir seguro.

Comece poupando um pouco todos os meses!

Lembre-se que o fator determinante para o sucesso aqui é a disciplina.

Crie métodos que facilitem seu objetivo, estabeleça as suas metas pessoais. Em pouco tempo, você começará a ver os resultados de suas ações de todos os dias.

 

Abraços e até a próxima.

Tem interesse em algum outro conteúdo mas não achou?

Envie uma sugestão

Sugestão de conteúdo

X