Artigos

Tem filhos adolescentes? Saiba como orientá-los.

Tempo estimado de leitura:
3
minuto(s)

Jovens são geralmente muito impulsivos e, em uma sociedade cada vez mais consumista, seu filho pode ficar endividado muito cedo. Isso porque é fácil ser envolvido pelas facilidades oferecidas pelo cartão de crédito e pelo cheque especial.

Quando isso acontece, a conta logo chega e costuma ser bem “salgada”, pois os juros por inadimplência dessas modalidades de crédito são muito altos.

Então, para começar a vida financeira com o pé direito, vamos a algumas dicas:

“Dê o exemplo.  Esta não é a melhor maneira de ensinar os filhos, mas a única.”

Não adianta querer ensinar sobre consciência financeira ao seu filho se você mesmo não cuida bem do orçamento familiar. Então, antes de começar, você deve analisar sua situação para ver se está tudo em ordem.

Confira se você já realiza estes 3 passos essenciais detalhados no Guia de Planejamento Financeiro disponível aqui no site.

“Ponha em prática a mesada educativa.”

Esqueça aqueles conselhos de que você não deve dar mesada para seu filho, que esse hábito vai estragá-lo e deixá-lo mal-acostumado. O que não deve ser feito é simplesmente dar dinheiro para o adolescente de graça — isso sim, pode ser prejudicial à educação financeira dele. Então, estipule um valor para a mesada e vincule isto ao merecimento. As regras devem ser estabelecidas entre vocês.
Manter boas notas na escola, ter uma participação ativa nas tarefas de casa, criar o habito de poupar parte do dinheiro recebido todos os meses, são alguns exemplos.

“Ensine a ele o valor de um bom investimento.”

Direcionar os primeiros investimentos para garantir o futuro de seu filho também é uma etapa extremamente importante. Uma boa alternativa é você fazer um plano de previdência privada para ele. Neste tipo de investimento o jovem poderá acumular recursos para começar um negócio, fazer um intercâmbio, dar um ponta pé inicial nos seus sonhos, e até mesmo, continuar acumulando recursos para sua própria aposentadoria.

“Crie metas de economia mensal.”

Outro ponto importante na educação financeira para adolescentes é ensinar a ele o valor de poupar. Afinal, você já sabe que o equilíbrio financeiro não depende de quanto ganhamos, mas de como gastamos, não é mesmo? O ideal é que antes de começar a gastar, ele guarde pelo menos 10% do que ganha. Assim, ele sempre terá uma reserva de dinheiro para alguma emergência, como para comprar algo de valor maior, como a troca de celular, por exemplo.

“Incentive-os a controlar seu próprio orçamento, conhecendo suas receitas e despesas.”

Fazer controle de gastos para saber exatamente para onde está indo o dinheiro é a melhor forma de evitar o desperdício. Isso pode ser feito através dos aplicativos gratuitos para celular, por uma planilha ou mesmo anotações no caderninho.

“Permita que ele cometa erros.”

Quando um filho adolescente comete erros, a primeira coisa que os pais querem fazer é ajudá-lo a resolver seu problema. Isso é normal, afinal, ninguém quer ver o filho em maus lençóis, principalmente quando se trata de dinheiro. Então, mesmo que você ensine e ainda acompanhe todos os gastos de seu filho, ele ainda pode cometer erros e se endividar. E esse é o momento de ele aprender como a boa gestão do dinheiro é importante.

Por isso, em vez de ficar preocupado e ajudá-lo a pagar as contas, deixe que ele quite sua dívida sozinho. Claro que você pode emprestar o dinheiro, mas desde que combinem uma forma dele devolver a quantia dentro de alguns meses.

Quando o seu filho pedir dinheiro para fazer alguma atividade, como ir ao cinema, por exemplo, lembre-o que aquela mesada é justamente para seus gastos supérfluos e que ele precisa aprender a viver com o próprio dinheiro.

Quanto mais cedo você começar a ensinar seu filho, menos desafios ele vai enfrentar para administrar suas finanças na vida adulta.

Tem interesse em algum outro conteúdo mas não achou?

Envie uma sugestão

Sugestão de conteúdo

X